OS ILLUMINATI

 

Rodolfo Domenico Pizzinga


 

 

 

Introdução

 

Ralph Maxwell Lewis (Sar Validivar) — 2º Imperator para o segundo Ciclo Iniciático da Ordem Rosacruz AMORC — no ensaio A Verdade Sobre os 'Illuminati', extraído do Rosicrucian Forum e publicado na revista O Rosacruz de outubro de 1981, informa que a palavra Illuminati significa, do latim, os esclarecidos. Seu significado, explica o Imperator, provém também de iluminação, ou seja, luz, termo que deve ser entendido tanto no sentido intelectual como no de um fenômeno físico.

Por que o Imperator Lewis afirmou que o conceito também se aplica no sentido de um fenômeno físico? Penso que, ainda que passado, presente e futuro componham uma unidade indissociável, vivemos no aqui e no agora, isto é, no presente, e inteiramente dependentes de duas categorias básicas: tempo e espaço. Portanto, é neste presente temporal e espacial que devemos atuar para construir um futuro melhor, menos para nós e mais para os que vierem depois de nós. Todos nós somos responsáveis pelo futuro, e se os Illuminati1 realmente alcançaram um estado altamente esclarecido da mente, como tudo indica que tenham alcançado, com muito mais razão atuam (ou devem atuar) na construção de um futuro, por assim assim dizer, mais iluminado, com melhor qualidade de vida para todos e menos anacrônico. Porém, ainda que essa atuação pacificante e iluminadora seja preponderantemente mental (psíquica e espiritual), operam também no plano objetivo, eventualmente exercendo posições de relevo no teatro planetário. Alguns desses Illuminati se fizeram conhecer do público, outros trabalharam em silêncio e só são conhecidos dos Altos Iniciados (entre os quais eu não me encontro). Esclarmonde de Foix, Hildegarde de Bingen, Leonardo Da Vinci, Giordano Bruno, Jakob Böhme, Louis-Claude de Saint-Martin, Helena Petrovna Blavatsky, Harvey Spencer Lewis, Émille Dantinne, Rudolf Steiner, Ralph Maxwell Lewis, Jeanne Guesdon, Max Heindel, Mâ Ananda Mohî, Arnold Krumm-Heller, Duval Ernâni de Paula, Mohandas Karamchand Gandhi, o padre-papa João XXIII e Raymond Bernard são apenas alguns exemplos de personalidades illuminadas que esparramaram suas luzes ao longo dos últimos mil anos.

Mas os Illuminati não operam restritamente nos âmbitos religioso ou iniciático; há políticos, cientistas, artistas, escritores, filósofos etc. que alcançaram esse grau altamente elevado e exercem suas ações altruístas e místicas nas suas respectivas especialidades. Em aditamento, admito que, a um certo grau, por terem conquistado o domínio da vida, os Illuminati possam influir em alguns domínios daquilo que erroneamente2 é distinguido como plano objetivo ou físico. Ora, como a separação das coisas é uma ilusão derivada da ignorância do funcionamento das Leis Cósmicas que regem o uno-múltiplo-uno, operar nos planos psíquico e mental é operar automaticamente no plano físico, ainda que os resultados dessa atuação possam não estar em conformidade com o tempo objetivo, e que sequer sejam, muitas vezes, percebidos objetivamente. Em Hamlet, Ato I, Shakespeare (1564–1616) ensinou: There are more things in heaven and Earth, Horatio,/Than are dreamt of in your philosophy. (Há mais coisas no céu e na Terra, Horácio,/do que sonhou em sua filosofia). Enfim, pensar é pôr em movimento. E quando se faz urgente e necessário, esses Illuminati põem em movimento o que precisa se mover ou ser movido. Contudo, que não se pense que eles possam alterar o karma (coletivo ou individual). Isso eles não podem fazer, pois estão plenamente conscientes de suas responsabilidades; e quanto aos seres-no-mundo, ainda que o planeta Terra seja mesmo uma escola, ninguém será promovido colando. Na verdade, não por ser uma escola, mas por ser uma Escola. Então, ou se aprende agora, desde já, a lição ou oportunamente se aprenderá mais dolorosamente a mesma lição (não obrigatoriamente na Terra e muito menos em Júpiter). E não adianta pedir revisão de prova para as safadagens praticadas ou por ter cabulado as aulas. A nota só poderá ser mudada por cada um de nós.

Enfim, adverte Sar Validivar, os Illuminati tinham [e têm] de demonstrar mais do que o domínio intelectual dos ensinamentos da Ordem mística ou metafísica de que eram membros. Seu caráter, do ponto de vista moral, também tinha [e tem de] de ser da mais alta qualidade. Estas qualificações constituem a caracteríastica original associada à palavra Illuminati e ao grau deste nome na Ordem Rosacruz AMORC. Portanto, imaginar que um Illuminatus (singular de Illuminati) use em benefício próprio (ou de um grupo qualquer) os conhecimentos que adquiriu em decorrência de sua afiliação sincera a uma Ordem Mística é o que não pode ser imaginado. Um Illuminatus jamais (portanto, sob nenhuma alegação) usa o que aprendeu para obter qualquer tipo de vantagem pessoal ou para favorecer quem quer que seja. Eram e são livres-pensadores que trabalham exclusivamente para o bem da Humanidade e pela paz na Terra, e por isso no século XVI foram suprimidos na Espanha pela Inquisição Católica Romana, que nunca esteve interessada nem em uma coisa nem em outra. Como explica o Imperator Lewis no artigo citado, este ato [medonho] da Inquisição e a publicidade [nefanda] que ele recebeu fizeram o público, mal informado, pensar nos Illuminati como um movimento nefasto. Logo, a afirmação de que you can identify the members of the Illuminati and unravel their astonishing plan to control and manipulate (você pode identificar os membros dos Illuminati e elucidar seu plano assombroso para controlar e manipular) contida no livro Secret Signs, Mysterious Symbols, and Hidden Codes of the Illuminati - Codex Magica, de Texe Marrs, mais do que equivocada, é inverídica e tendenciosa no que concerne aos verdadeiros Místicos. Os autênticos Illuminati (palavra dignificadora e identificadora de uma condição ou estado adquiridos exclusivamente pelo Trabalho e pelo Mérito usada pelas antigas e arcanas Ordens Secretas e Iniciáticas) nunca quiseram controlar e manipular ninguém e absolutamente nada. Manipular e controlar o quê? Para quê? Com qual finalidade? Alguém, em sã consciência, pode supor que, por exemplo, os Quarenta Egípcios, Éliphas Lèvy, Saint-Yves D'Aveydre, Helena Petrovna Blavatsk, Papus e Raymond Bernard, enquanto viveram entre nós, tenham manipulado ou controlado o que quer que fosse para o fim que fosse? Enquanto vivermos no século XXI mergulhados em (pre)conceitos e idéias medievais, inquisitoriais, intolerantes e retrógradas, haveremos de pensar, afirmar e divulgar estapafurdices como essas (e outras) que públicou o senhor Texe Marrs nas fartamente ilustradas 588 páginas do seu Codex Magica, misturando e liqüidificando como ele misturou e liqüidificou, por exemplo, Teosofistas, Rosacuzes e Maçons com o que não pode ser misturado e liqüidificado, por serem, na origem e por princípio, coisas ideológica e misticamente heterogêneas. São bobices e tolices como essas que incendeiam os desinformados corações e, por isso, escolho a palavra infâmia para definir tudo isso.

Antes de prosseguir, pergunto: O que é a verdade? Eu não sei exatamente o que é a verdade, mas sei muito bem o que são as inverdades fabricadas. Mais-valias, mentiras, conspirações, atentados, deslealdades, assassinatos, seqüestros, guerras, múltiplas privações da(s) liberdade(s), depravações, corrupções, apoderamentos ilícitos, veiculações estapafúrdicas et cetera, et cetera, et cetera são inverdades. Porém, muito mais do que inverdades são mesmos perversidades, e, por isso, discutirei mais aprofundadamente esse tema um pouco mais à frente. A verdade – que muitos têm a quimérica e arimânica pretensão de saber (ou de conhecer) e, muitas vezes, de impor ou de tentar impor – é simplesmente inalcançável. Onde está a verdade, por exemplo, em se admitir que a existência comece apenas com o nascimento? Como é possível algo ser criado do nada? Como é possível ser verdade que uma alma vivente possa ser premiada ou condenada eternamente? Céu? Inferno? Infalibilidade papal? Onde está a verdade em viver, beber e comer à farta enquanto há fome e sede espalhadas pelo mundo para nenhum demônio botar defeito? Onde está a verdade em se gastar trilhões de dólares em bombas e guerras genocidas? Eixo do mal? Assassinatos seletivos? Legítima defesa preventiva? Terra devastada? Poluição do ar, da água, do solo? Biochips? Onde está a verdade?

Já tive a oportunidade de discutir essa matéria em diversos ensaios e não acho que seja inconveniente abordar o assunto novamente. Afinal, é em grande parte por causa de presumidas verdades – astuciosa e autoritariamente forjadas – que o mundo se encontra de pernas para o ar e muitos incautos têm sido arrastados para uma certa Esfera que comentarei um pouco mais abaixo. É em nome dessas presumidas verdades, que geralmente atravessam gerações, que os donos do poder dominam e subtraem. É em nome dessas presumidas verdades que muitas pessoas se submetem. E é em nome dessas presumidas verdades que o mal prevalece sobre o bem, ainda que bem e mal sejam categorias relativas, tanto quanto a própria verdade. A hipotética verdade de ontem pode não ser – e geralmente não é – a verdade de hoje, e certamente não será a verdade de amanhã. Imaginar, por exemplo, que a última palavra sobre a idéia de Deus já foi escrita é não permitir que o único Deus possível possa se manifestar. E esse único Deus possível só se torna possível efetivamente e singularmente para cada ser singular, na medida em que os deuses coletivos (egregóricos) são paulatinamente substituídos pelo Deus de cada Coração. Aí, sim, começa a Santa Peregrinação em busca da ilimitada e inalcançável Verdade. Logo, não pode existir uma verdade que seja igual (e definitiva) para todos. E mais: se se admite que a verdade seja ilimitada e inalcançável, cada verdade percebida ou decodificada, individual e/ou coletivamente, nada mais é do que um elo de uma uma cadeia ilimitada de verdades. Por exemplo: em um dado momento pode-se admitir a pena capital como uma solução adequada e uma verdade incontestável (que não é); mas, quando se realiza que outro e mesmo são um, matar o outro é percebido internamente como correspondente ao suicídio do mesmo. Também, dificilmente se retorna a uma verdade que foi ultrapassada. Pode-se até mudar o nome dessa tal verdade, como foi mudado o nome do Santo Ofício para Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, mas já não é mais a mesma coisa, ainda que certos preconceitos não tenham ainda sido ultrapassados.3

Portanto, o aprendizado é permanente e não há ninguém que tenha alcançado a compreensão integral de nada. Entretanto, ninguém deve ficar traumatizado pelas besteiras que admitiu como verdades imutáveis, pois o que norteia nossas próprias boas ações, hoje, poderá, no futuro, ser atualizado. Já afirmei também que o Cósmico está ancorado no devenir, ainda que, em um certo sentido, o próprio devenir seja uma ilusão. Mas, como uma primeira aproximação, pode-se pensar na verdade como um permanente vir-a-ser. Enfim, o que é mesmo lamentável é que uma pessoa ou uma instituição, entre dia saia dia, permaneçam no mesmo lugar, acreditando que suas verdades sejam inalteráveis, cabais e determinantes. Isso equivale a estar satisfeito consigo, e quem se dá por satisfeito obviamente pára preconceituosamente em um ponto do caminho, fermentando todos os ingredientes para ser arrastado para baixo e para trás. Uma das chaves da alforria é a libertadora dialética, mas que não poderá ser alcançada se tiver por farol obras como o Codex Magica do senhor Texe Marrs (ou éditos promanados de quaisquer organizações que veiculem idéias, opiniões ou sentimentos desfavoráveis formado a priori, sem maior conhecimento, ponderação ou razão), não porque o livro denuncie as tramas pérfidas dos poderosos sem Poder, o que é bom, mas porque baralha desordenadamente coisas distintas – os Iniciados com os cáftens da Humanidade – o que em nada pode ser bom. De qualquer forma, que fique claro, não estou aqui a censurar a obra do senhor Marrs, pois isso não me cabe, como penso que não caiba a ninguém. Os comentários que fiz foram meros e rápidos cotejamentos, tanto que recomendo aos estudiosos de Misticismo que consultem o livro.

 

 

 

 

Enfim, os Illuminati foram no passado estigmatizados por terem sido particularmente associados a Adam Weishaupt (1748-1830), que fundou em 1776 a Ordo Illuminatorum (segundo consta Weishaupt teria obtido o conhecimento necessário para fundar a Ordem a partir de alguns fragmentos derivados de Hassan Sabbath, xeque persa, 1034-1124, conhecido como o Velho da Montanha, e do líder espiritualista afegão Bayezid Ansari, 1525-1580), e também porque alguns indivíduos mal-intencionados empregaram (e continuam a empregar, conforme será visto mais abaixo) a palavra Illuminati indevidamente para obter privilégios pessoais. Logo, é um grave equívoco associar os Velados e Silenciosos Illuminati tanto a esses (que possivelmente foram bem-intencionados) quanto aos Irmãos das Sombras, ou seja, aos governantes ocultos 180º à esquerda do Governo Interno e Espiritual do Mundo, que são efetiva e definitivamente mal-intencionados. Esse é o tema que será sinteticamente abordado a seguir.

 

 

 

 

Os Irmãos das Sombras

 

 

Quando escrevi o ensaio Governo Oculto do Mundo, antes de apresentar as considerações finais do texto, especulei: Quem são os Irmãos das Sombras? Que dizer desses Irmãos? Se não é você quem forjica as desgraças, os despotismos e as maldades, quem será? Quais serão seus objetivos? Eu sei que não sou eu. Mas há aqueles que os fabriquem 24 horas por dia, 365 dias por ano. E nos anos bissextos eles não folgam no dia 29 de fevereiro. Eu não os conheço pessoalmente, mas que eles existem eu não tenho qualquer dúvida.

O fato é que, sabidamente, há um Governo Oculto, 180º à esquerda do Governo Interno e Espiritual do Mundo. Enquanto este usa para base de seu Trabalho o Amor impessoal e incondicional, aquele se serve do ódio, do egoísmo e da irracionalidade. Este Governo Oculto do Mundo, 180º à esquerda, é designado comumente por Nova Ordem Mundial.4 A "nova ordem mundial" é um complexo sistema de controle sobre o mundo, que se mantém oculto das pessoas comuns, mas que pode ser observado quando se presta atenção nos detalhes de todas as coisas, pois há diversos símbolos que mostram a presença do poder desse grupo... e que demonstram a presença dele. Essa nova ordem objetiva também controlar todas as religiões, mas, particularmente, tem interesse em dominar o Catolicismo para substituí-lo por uma nova religião mundial, a religião da Nova Era, nome que faz alusão à passagem da Era de Peixes para a Era de Aquário. Trabalham também no sentido de ter o controle absoluto e mundial das armas de fogo, de ter o controle absoluto e mundial da produção e do comércio, de ter o controle absoluto e mundial dos territórios e dos minerais (sob o pretexto de pesquisar a fauna e a flora, cientistas de órgãos governamentais estrangeiros recolhem plantas e animais e os patenteiam, controlando assim a exploração desses recursos), de ter o controle absoluto da Amazônia (manter a Amazônia isolada, sem ocupação, é uma campanha do exterior, das grandes corporações, que querem se apoderar das riquezas que lá existem), de ter o controle absoluto de toda água do Planeta (de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, estima-se que aproximadamente uma em cada seis pessoas não tem acesso à água potável; a falta de saneamento básico e de água potável constituem duas das principais causas de pobreza e da disparidade crescente entre ricos e pobres), de ter o controle absoluto e mundial do petróleo (o controle do petróleo é o braço mais visível do governo mundial; um cartel de países controla a produção e a venda) etc. Por outro lado, nos últimos anos, foi desenvolvida uma tecnologia que permitirá o controle total sobre todos os seres humanos: 'chips' que são implantados sob a pele das pessoas. Essa tecnologia, inicialmente testada em animais, foi aprovada para uso em seres humanos. Inicialmente a adoção dessa medida é voluntária, e usa-se o argumento da segurança pessoal para que as pessoas aceitem o 'chip' sob suas peles. A idéia do Governo da Nova Ordem Mundial, no entanto, é tornar o 'chip' obrigatório, possibilitando, assim, o rastreamento imediato do indivíduo, para sua localização e controle. A meta é que as pessoas tenham seus atos vigiados permanentemente. (Este tema será rapidamente discutido no próximo item). Enfim, está em curso uma bem arquitetada orquestração para implantar na Terra uma nova ordem para que subsista por muitos séculos, uma espécie de quarto reich, já que o terceiro foi desmontado, e foi desmantelado exatamente por aqueles que, hoje, estão à frente do quarto. Tudo isso tem por bandeira a globalização, que, como também já tive a oportunidade de comentar, em si, não é uma má idéia, só que sua efetivação concertada só alcançará sucesso se for estruturada sob os princípios básicos que regulam as ações do Alto Conselho, o A, quais sejam: Paz, Progresso e Amor impessoal e incondicional. Mas, quem pensa nisso? Quem quer isso? Contudo, todos quererão. Ou acabarão querendo sem querer.

Porém, o pior de tudo isso é que quando as coisas não são obtidas pelo convencimento ou pela lavagem cerebral, são conquistadas no peito e na raça, na porrada e no tiro. Quando algo ameaça os objetivos destes senhores, a guerra é feita e a matança é ordenada.

Passarei, agora, a discutir um pouco mais aprofundadamente essa questão dos governantes ocultos 180º à esquerda do Governo Interno e Espiritual do Mundo. Quem aceita pacificamente o fabordão Don't worry, be happy é um nefelibata que pode involuntariamente se transformar em um inocente útil, e, por ingenuidade e/ou ignorância, poderá ser usado no serviço de uma causa ou de uma idéia política detrimentosas à Humanidade. Portanto, penso que um pouco de informação a respeito dos Irmãos das Sombrars seja útil para todos.

Eu, particularmente, não conheço pessoalmente nenhum desses Irmãos, pois eles só dão a conhecer entre si. Mas admito que suas ações se dêem de três maneiras básicas: objetiva, subliminar e psíquica. A(s) forma(s) objetiva(s) todos conhecemos: guerras; fabricação de bombas sujas e limpas; assassinatos seletivos e não-seletivos; seqüestros; tortura; atentados; conspirações; exploração e comércio de escravos e de crianças; prostituição infantil; necrofilia, pedofilia e zoofilia erótica; necromancia e magia negra; manipulação de autoridades ou de órgãos do poder público para obtenção de favores irregulares de interesse pessoal ou do grupo a que pertencem; recrutamento e transporte de mulheres destinadas à prostituição; manipulação das bolsas de valores; sustentação da indústria bélica; espoliações via fraude ou violência; tráfico de drogas e de armas; globalização acachapante; sobrevalias; et cetera. Em uma palavra: dominação. A forma subliminar é praticada por associação de idéias enganosas (políticas, econômicas, religiosas etc.), geralmente muito bem orquestradas e propagandeadas, sendo suficientemente intensas para penetrar nas consciências, que, pela repetição ou por outras técnicas, atingem o subconsciente dos desavisados, afetando emoções, desejos e opiniões. Como a maioria das pessoas não tem como comprovar a veracidade das informações ou das notícias anunciadas e nem se importa em buscar esclarecimentos a respeito de nada, para ficar apenas neste nível especulativo, acaba engolindo as mentiras e as articulações como se verdades fossem. Um exemplo besta que nada tem a ver com o assunto, mas que ilustra o que estou discutindo: quem se interessa em saber se o médico que está lhe dando assistência é realmente formado em Medicina? Em duas palavras: dominação e ilusão. Mas, penso que a pior forma de ação dos Irmãos das Sombras seja a psíquica. Vou tentar explicar isto mais minuciosamente. Se no plano objetivo, fisicamente, o semelhante atrai o dessemelhante, psiquicamente se dá o contrário. Por isso, paraíso e inferno ainda têm grande aceitação. Mas, o que ocorre é que somos atraídos para faixas vibratórias semelhantes ou próximas dos nossos pensamentos mais íntimos. E esses Senhores das Sombras trabalham 24 horas por dia, 7 dias por semana para cooptar mentes afínicas com seus idéias de dominação e perversidade. A coisa toda anda no ar que respiramos, nas notícias que são veiculadas e, mais recentemente, na Grande Rede, que, infelizmente, vem sendo transformada em um eficaz e eficiente meio de disseminação de desinformação, de contra-informação, de calúnias, de injúrias e de difamações. Por outro lado, quando dormimos somos seduzidos e empolgados por aqueles pensamentos, palavras e ações que nortearam o período de vigília. Ora, isso é um prato feito! Por causa disso, muitos se tornam, enquanto dormem, intrumentos do exército das Sombras. E, a cada dia que passa, vão se tornando, cada vez mais, imantados, por cooptação subconsciente, para a esquerda, ou seja, para aquilo que Rudolf Steiner5 (1861-1925) denominou de Oitava Esfera. E, com isso, perdem o domínio de suas emoções e de sua vontade, muitas vezes dizendo e fazendo coisas (objetiva e psiquicamente) que não sabem exatamente porque disseram ou porque fizeram. Acabam, na maioria das vezes, se transformando em seres sem alma, isto é, estruturados neste Plano apenas por Corpo Físico, Corpo Etérico e Corpo Astral, sem nenhuma atuação (direta ou indireta) do Eu ou da personalidade-alma para inspirá-los para o Bem e a Beleza. É por isso que, à medida que os ciclos vão se cumprindo, menos entidades conscientes poderão alcançar (illuminadas, livres e realizadas) a última Ronda deste Grande Ciclo. Não pude, agora, deixar de me emocionar e de chorar um pouco, ainda que eu saiba que tudo esteja de acordo com a Lei. Tudo isso se resume a três palavras: dominação, ilusão e ignorância.

 

 

 

 

A Oitava Esfera

 

Para que se tenha uma compreensão preliminar de como funciona o Governo das Sombras 180º à esquerda do Governo Interno e Espiritual do Mundo é interessante se ter uma idéia do que seja a Oitava Esfera, sobre a qual são feitas poucas referências na literatura esotérica, e, não raro, com uma certa má vontade. Essa Oitava Esfera, segundo Rudolf Steiner, foi considerada um segredo até que Mr. Sinnett [Alfred Percy Sinnett, 1840-1921] a mencionasse. Como a Oitava Esfera não se encontra (e se encontra!) em qualquer parte do mundo ou plano objetivo, o que se seguirá permitirá apenas que se possa ter, conceitualmente, uma representação mental dessa Esfera, pois a maioria da Humanidade ainda não desenvolveu um orgão sensorial para poder percebê-la e não pode estar plenamente consciente da sua existência. Para sintetizar este tema, usei como referência e fonte de pesquisa algumas palestras proferidas por Rudolf Steiner no seio da Sociedade Antroposófica, no primeiro quartel do século passado. Mas, uma advertência deve ser feita: a síntese a seguir apresentada, por ser uma síntese, está, ao mesmo tempo, incompleta e possivelmente inexata. Logo, para uma compreensão mais concertada desta matéria obscura será necessário que o leitor faça uma pesquisa pessoal.

A Oitava Esfera é uma espécie de resto ou sobra proveniente da antiga Lua (3ª Esfera) derivada de seu desenvolvimento como antecessora da Terra, e, portanto, (ainda) tem alguma relação com a Terra. O termo decorre do fato de existirem sete esferas conhecidas há muito tempo: Saturno, Sol, Lua, Terra, Júpiter, Vênus e Vulcano. O diagrama esquemático abaixo (o original é de autoria de Rudolf Steiner) pretende dar uma idéia do que seja essa Oitava Esfera, que se situa fora (do eixo evolutivo dos estágios de desenvolvimento seqüencial) das sete esferas anteriormente citadas (que, concertadamente, deveriam ser desenhadas uma dentro da outra).

 

 

Sete + Uma Esferas

 

A Oitava Esfera, segundo Steiner, só pode ser atingida pela clarividência imaginário-imaginativa. Ela é uma etapa tardia do desenvolvimento da Lua, ou seja, algo que foi deixado para trás pela Terceira Esfera de sua substancialidade e retido pelas entidades luciféricas e arimânicas. Lúcifer e Arimã, segundo o Fundador da Antroposofia, estão ininterruptamente empenhados em arrancar da Terra e do homem tudo que possa ser incorporado e escravizado à Oitava Esfera, até o dia em que, vibratoriamente, a Terra possa se desprender ou se desligar dessa influência, quando essa Oitava Esfera percorrerá caminhos próprios com Lúcifer e Arimã no comando, e a Terra se dirigirá em direção a Júpiter para mais um ciclo evolutivo em uma dimensão superior e mais refinada. Como tem sido anunciado, possivelmente o início dessa Grande Transformação se dará no mês de fevereiro de 2034. A luta Daqueles que Podem e Sabem tem sido efetivada no sentido de impedir que o desenvolvimento da Humanidade se esvaia no seio da Oitava Esfera e tome outro curso. Mas, infelizmente, isso não será possível para o conjunto dessa mesma Humanidade. Muitos já se entregaram ao domínio de Lúcifer e Arimã, e outros ainda se entregarão. Porém, aqueles que permitem que o princípio do amor (presente na reprodução e na hereditariedade) norteie seus pensamentos, suas palavras e seus atos nada têm a temer, pois as entidades luciféricas e arimânicas nada podem contra o amor. Associativamente ao princípio do amor está vinculada a liberdade de querer, que não havia em Saturno, no Sol e na Lua. Foi apenas no período terrestre que ela se manifestou. Logo, amor e liberdade são as chaves efetivas para que o homem possa fazer valer sua vontade e seu discernimento e não ceder aos apelos magnetizantes e escravizantes das entidades da Oitava Esfera. Como explica Rudolf Steiner, continuamente Lúcifer e Arimã estão ocupados em comprometer o livre-arbítrio do homem e simular uma porção de coisas, para depois arrebatar-lhe o que haviam simulado, fazendo-o desaparecer na Oitava Esfera. E também: Todas as vezes que os homens se entregam ao fatalismo ao invés de se decidirem a partir de sua força [interior] de julgamento, mostram uma inclinação para a Oitava Esfera. Dante Alighieri (1265-1321), no Canto I do Inferno da Divina Comédia, que reproduz as concepções cosmológicas e teológicas da época, escreveu: Lasciate ogne speranza, voi ch'entrate! (Deixai, ó vós que entrais, toda a esperança!)

 

 

 

A natureza intrinsecada da Oitava Esfera é contra o progresso e a evolução espiralar, e as ações luciféricas e arimânicas, por esse motivo, desenvolveram e vêm desenvolvendo sua maior força no ponto mais vulnerável do ser humano: a cabeça e o intelecto. É por isso, como foi dito acima, que só o amor pode fazer frente a esse conjunto de forças, e só o amor poderá transformar o homem em seu verdadeiro e único senhor, pois ele, o amor, é o passaporte universal e insubstituível para Júpiter. Isto que acabou de ser dito foi definitivamente impresso na consciência humana pela manifestação na Terra do Cristo e com o Supremo Sacrifício de Jesus, recusado, aviltado e fantasiado por muitos nos dias que correm. Uns estão presos ao pasado; outros admitem que o futuro começa apenas no presente. O Princípio Crístico veio unir, por meio do Amor Universal, os dois ilusórios e impossíveis extremos. Logo, ficar preso ao antes significa estar a serviço das forças luciféricas, e pensar que o depois começa apenas e a partir do agora é estar submetido às forças arimânicas, ainda que seja aqui e agora que esse inexistente, fictício e utópico futuro deva ser construído. Contradição? Não. Tudo é UM.

 

 

 

 

Para concluir este item, vou discutir rápida e suavemente alguns exemplos vinculados ao que foi estudado até aqui. Todo mundo já deve ter passado por aquela situação em que os pensamentos começam a ficar confusos, parecendo que perdemos completamente o controle sobre eles e sobre nós. Os pensamentos passam a fluir baralhados e com extraordinária velocidade, todos se superpondo sem nexo e sem uma explicação consentânea, coisas mesmo sem pé nem cabeça. Às vezes, os pesadelos também são assim: começam de uma maneira, o miolo é de outra e terminam de uma terceira que nada tem de semelhante com o começo e com o meio. Essas sensações opressivas ou esses sonhos aflitivos normalmente são tristes e violentos, mas, às vezes, até podem até ser engraçados. Tudo isso decorre de nosso comportamento perante as situações que a vida nos oferece como experiência e do maior ou menor envenemento mental ao qual nos sujeitamos. Se e quando nos deixamos tomar e dominar por aquilo que consideramos insuportável ou afrodisíaco, em meio a esse turbilhão de emoções, nos tornamos presas fáceis da Oitava Esfera. Se regurgitamos e novamente remastigamos as coisas que nos incomodam ou nos deleitamos desmedidamente com as que nos excitam, e permitimos que essas vibrações tomem as rédeas do nosso ser, poderemos ser levados a cometer desatinos bem ao estilo das forças luciféricas e arimânicas. Mutatis mutandis, a Oitava Esfera funciona como um canal de televisão emitindo sinais eletromagnéticos, transmitindo comandos psíquicos e se realimentando dos equívocos mentais e operativos dos desacautelados, negligentes e imprudentes, tornando-se, a cada instante, mais poderosa e mais funcional. Se o indivíduo não consegue controlar seus pensamentos e sua conduta, paulatinamente vai ficando à mercê da Oitava Esfera e dela se tornado um acionista preferencial com todas as suas (des)vantagens. Coisa semelhante, por exemplo, mas com outra explicação e outro desfecho, ocorre nas psicopatias e nas esquizofrenias, doenças que geralmente não são resolvidas em uma única encarnação. Também são exemplos de atuações luciféricas e arimânicas a dependência física (fenômeno gerado pelo uso contínuo de certos medicamentos ou drogas que leva o corpo a produzir um novo equilíbrio, exigindo para seu funcionamento um aporte regular de tais medicamentos ou drogas), a dependência psíquica (compulsão a consumir certos medicamentos ou drogas porque produzem um efeito agradável ou suprimem problemas como ansiedade, depressão reativa – ligada a conflitos ou a situações de estresse físico e/ou psíquico – perdas, decepções, fracassos, solidão, insônia etc.) e a toxicomania (consumo compulsivo de substâncias ativas sobre o psiquismo como o álcool e drogas como heroína, cocaína, haxixe etc.). Ora, basicamente, somos o resultado do que pensamos e do que pomos para dentro do nosso corpo. Assim, mais uma vez tenho que repetir: somos os únicos responsáveis por tudo o que nos acontece e qualquer mudança só depende de nós. Mas, essas coisas podem ser mudadas? Em princípio há solução para tudo. Tirante os casos de psicoses endógenas e de desajustes mentais graves (que devem ser tratados e acompanhados por um especialista), é perfeitamente possível alcançar o domínio da vida e não prestar obediência a essas forças. Vai de querer e de começar. Emergencialmente, para os casos mais leves e para as situações fortuitas, pode-se fazer o seguinte: no momento em que sentirmos que estamos sendo dominados por sensações que não são costumeiras, imediatamente devemos fazer algo contrário aos nossos hábitos, algo que, de súbito, possa mudar o curso das coisas. Por exemplo: se somos manidestros, podemos ir beber um copo d'água fazendo todos os movimentos com a mão esquerda (ou vice-versa); podemos andar por alguns instantes de costas; podemos tentar cantar uma música no ritmo de outra; ou podemos, ainda, tentar dominar essa invasão de nossa privacidade fazendo uma oração e/ou vocalizando um mantra de nossa preferência. A conduta deve ser sempre na direção de tomar a decisão de fazer imediatamente alguma coisa que surpreenda o Corpo Astral, e não o deixe dominar ou ser dominado pelas vibrações que tentam se instalar e passar a dominar nosso ser. Aliás, todos esses exemplos (entre tantos outros) são excelentes para combater a esclerose de Alzheimer. Em aditamento a tudo isso, não há nada pior para o nosso psiquismo do que nos deixarmos estimular e inflamar com notícias negativas, fofocas, bate-papos libidinosos ou inúteis, preconceitos, misérias, desgraças, doenças etc. E quando esses assuntos são tratados ou ventilados durante as refeições tornam-se bombas envenenadoras para o nosso Eu Interior. Esses tipos de papos furados devem ser evitados a todo custo. Última reflexão: tudo depende de nós.

 

 

 

 

Ações Objetivas dos

Irmãos das Sombras

 

O aliciamento é permanente. Vou dizer mais uma vez: essa congregação não dorme. A (des)construção da Oitava Esfera funciona 24 horas por dia 7 dias por semana. Apesar de não poder ser percebida objetivamente, ela tem representantes e associados espalhados por todo o Planeta que integram aquilo que é conhecido como Grande Loja Negra. E, muitas vezes, o que parece ser uma coisa, pode ser outra bem diferente, como, por exemplo, kiss, que em inglês significa beijo, mas que também pode muito bem significar Knights In Satan Service!

Tudo está caminhando em progressão geométrica para um impasse planetário, de certa forma confirmando a declaração de enigmática de Werner Von Braun (1912-1977), o Pai do Programa Espacial Americano: — We find ourselves faced by strong powers whose base of operations is at present unknown to us. (Encontramo-nos face a forças poderosas cuja base de operações é atualmente desconhecida para nós). Todavia, poderemos fazer alguma coisa? Sim, nós podemos tudo. Sem exceção ou limitações. Repetindo: vai de querer e de começar. O Website Pax Profundis é um exemplo do que pode ser feito, e que pode ser seguido (e, no bom sentido, imitado) por todos os homens e mulheres de boa vontade. Conclamo misticamente a todos que empenhem seus melhores dotes e qualificações, e que comecem desde já a trabalhar pela paz no mundo e pela libertação da Humanidade. Fiat Pax! Fiat Lux! Todas as pessoas conscientes desta Terra abençoada têm que, independente de seus credos pessoais, fazer a sua parte. Esperar que só os outros façam é uma tremenda covardia. E não adianta apenas orar e vigiar para não cair em tentação. Isso é pouco; é preciso mais. É necessário trabalhar e ensinar aos que se encontram perdidos e desamparados.

Diversos são os exemplos que podem ser aditados a tudo que já foi examinado até aqui. Vou reelaborar e acrescentar mais alguns fatos objetivos amplamente divulgados na mídia e tornados públicos na Internet relativos à atuação dos Irmãos das Sombras.

1 - Orquestração silenciosa e pervertida para a conquista espacial.

2 - Rituais sexuais com a finalidade de invocar o anticristo e as forças das trevas.

3 - Sacrifícios rituais de animais na Terra e no espaço.

4 - Sacrifícios humanos, sangue e morte ritualística pelo fogo.

5 - Desarmonização da Humanidade através da música e dos meios de comunicação em geral, induzindo à perversão dos costumes.

6 - Indução estratégica ao consumo de alcalódes e de drogas de efeito entorpecente.

7 - Indução às mais variadas perversões sexuais (prática efetiva de atos sexuais com crianças, prazer sexual com animais e uso de cadáveres como objeto sexual).

8 - Tortura e assassinato de animais para os mais diversos fins.

9 - Disponibilização de jogos (como o Illuminati, Game of Conspiracy) com o intuito de desacreditar os Místicos em geral.

 

 

10 - Utilização de maneira indevida e não autorizada do simbolismo de Fraternidades Místicas e Iniciáticas.

11 - Adulação e incremento do materialismo, incentivo à idolatria religiosa e exarcerbação do militarismo (autoritário e totalitário).

12 - Manipulação das bolsas de valores e do dinheiro do mundo.

13 - Fomentação e auferibilidade de benefícios ilegítimos e bastardos com as guerras, a fome, a miséria, as usurpações e as destruições.

14 - Seres humanos, a pretexto de que seja estabelecida harmonia e segurança individual e mundial, podem ser monitorados por satélites interligados 24 horas por dia por simples implantação cirúrgica de microchips do tamanho de uma cabeça de alfinete 5 ou 6 milímetros sob a pele ou mesmo através de injeções durante a vacinação. O microchip faz tudo. Curiosamente, isso faz lembrar uma pasasagem do Livro da Revelação XIII, 16 e 17: E fará que todos – pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos – tenham um sinal na mão direita ou nas suas frontes; e que ninguém possa comprar ou vender, exceto aqueles que tiverem... o número do seu nome.

 

FORMIGA E MICROCHIP
Formiga levando em suas mandíbulas um microchip de 1 mm.
Fotografia liberada pelo Centro de Tecnologia de Precisão
da Universidade de Huddersfield. O Centro é o primeiro
na Inglaterra a calibrar a 1/104 de milímetro.
Fonte:
http://www.umanovaera.com/conspiracoes/microchips.htm

 

18 - Nova Ordem Mundial ou Nova Ordem Global: Cibersistema LUCID (LUCifer IDentification, segundo Texe Marrs). Satélites espiões já estão sendo usados para o policiamento de um estado global totalitário e para monitorar homens, mulheres e crianças que já estão usando experimentalmente biochips implantados e programados por um software biométrico universal. Esses biochips contêm um transponder (aparelho emissor-receptor que responde automaticamente a uma mensagem de identificação) e uma bateria de lítio. A bateria é carregadao por um circuito integrado termal que produz a voltagem à partir de flutuações térmicas na temperatura do corpo. Esses biochips podem ser lidos por um scanner e o código identifica o proprietário. Pode ser usado também para acessar um arquivo em um computador. Foi descoberto que somente dois lugares são adequados para o implante do biochip: a testa, logo abaixo da linha do cabelo, e a parte de trás da mão, especificamente a mão direita.

19 - Implantes em crânios e transmissores injetáveis induzindo a uma amnésia e a um enfraquecimento do sistema imunológico, deixando os pacientes mais vulneráveis às doenças.

20 - Em reuniões secretíssimas e alianças estratégicas os integrantes da Nova Ordem Mundial influenciam a política mundial, as finanças, os recursos naturais e mesmo as políticas e a estrutura da Organização das Nações Unidas. A meta é o estabelecimento de uma nova-ordem-teia-planetária baseada em um governo mundial, uma religião global e uma economia global eletrônica.

Esses vinte exemplos acima apresentados só são secretos na forma como estão sendo orquestrados, administrados e implementados. Há dezenas de páginas na Internet que abordam esses assuntos, umas com sensacionalismo e apelos religiosos e apocalípticos, outras misturando alhos com bugalhos como vem fazendo o senhor Texe Marrs e os fanáticos religiosos. O tema precisa ser abordado? O tema precisa ser discutido? Sim e sim. Mas com isenção, independência e dignidade. O que não se pode é gerar pânico e, à semelhança de uma metralhadora giratória, sair acusando gregos e troianos, fenícios e cartagineses, cariocas e baianos.

 

 

 

 

Considerações Finais

 

Temos que trabalhar e lutar para não nos submetermos. Temos que trabalhar e lutar para nos libertarmos. Temos que estar também atentos às contra-informações. Penso que a maior maldade em tudo isso não seja esse projeto da Grande Loja Negra em tentar dominar o Planeta, até porque, em parte, já dominou. E dominou porque permitimos. Mas poderá perder esse domínio ou diminuí-lo substancialmente, ainda que isso seja impossível a curto prazo e para o conjunto da Humanidade. Mas, basta querermos e darmos início a um esforço coletivo que as coisas mudarão com o tempo, não para todos, mas para muitos, talvez até para a maioria. Quem pode saber? Maldade realmente perigosa é colocar (ou tentar colocar) no mesmo saco sem fundo os Illuminati com os pseudo-illuminati e os tenebrosos. Ainda que um Illuminatus esteja, a um certo grau, imune a tudo isso, não deixa de ser uma maldade ignominiosa tentar emporcalhar sua vida neste Plano. Mas como a inveja e a perfídia andam de mãos dadas, pode-se esperar de tudo de quem vive coberto de trevas. Até hoje, 67 anos após a Grande Iniciação de Harvey Spencer Lewis (Sar Alden) há alguns que ainda tentam difamá-lo e desacreditá-lo pela Internet. Talvez a maior lição que venham a aprender no futuro será serem recebidos do lado de lá, quando morrerem, pelo próprio Sar Alden, que, se assim suceder, os acompanhará educativa e amorosamente por algum tempo. Só que, então, não adiantará nada se arrepender; a lição já estará em curso, e nada poderá abrandá-la ou mesmo anulá-la. Eu só fico pensando em uma coisa: como é que uma pessoa pode jogar sua experiência vital no lixo para ficar agredindo a memória de quem só fez o bem. Isso, para mim, é um escândalo sem qualquer sentido. Agora, se for uma patologia irresistível nada poderá mesmo mudar agora esse tipo de conduta. Paz para todos esses.

Por outro lado, maldade perigosíssima, mas na mesma linha torta e negra, é acusar de conspiração homens e mulheres de boa vontade como os Maçons, os Teosofistas, os Antroposofistas, os Martinistas e os Rosacruzes e manipular as consciências pouco preparadas das pessoas para que sirvam a interesses hipotéticos, ilegítimos e bastardos. Maldade inominável é difamar as Fraternidades Iniciáticas e perseguir os Místicos como se eles fossem os responsáveis pela ignorância consentida e subserviência pseudolucrativa da Humanidade.

Novelas, reality shows e programas estupidificantes se incumbem de anestesiar as consciências. Se antes do advento da telinha as pessoas eram normalmente desinformadas, hoje, com ela e por meio dela, estão ficando demoniacamente cada vez mais mal informadas. Isso não é uma regra geral, nem para as redes de televisão, nem para todos os seres humanos. Há muita informação boa e muitos programas educativos na televisão. Todavia, uma parte ponderável dos canais de televisão e um número considerável de pessoas interagem a serviço da escravizante imbecilização internacional. A quem interessa isso? Aos mesmos que querem transformar a Humanidade em gado, porque em massa de manobra uma boa parcela já foi transformada. As pessoas acreditam, engolem e reproduzem sem raciocinar tudo o que vêm na televisão e o que recebem em seus e-mails. E assim vai sendo cumprida a programação das trevas, assim vai sendo anestesiada a Humanidade e assim vai sendo espalhada e cumprida a obra negra da Grande Loja Negra, entranhada e associada a guerras, assassinatos, atentados, conspirações, biochips, exploração e comércio de escravos e de crianças, prostituição infantil, necrofilia, pedofilia e zoofilia erótica, necromancia, manipulação de autoridades ou de órgãos do poder público para obtenção de favores irregulares de interesse pessoal ou do grupo a que pertencem, recrutamento e transporte de mulheres destinadas à prostituição, manipulação das bolsas de valores, sustentação da indústria bélica, espoliações via fraude ou violência, tráfico de drogas e de armas, globalização acachapante, desinformações de toda ordem, sobrevalias et ceteraet cetera.

Os Altos Iniciados e os Illuminati não podem fazer o trabalho que cabe a nós.

Temos que trabalhar e lutar para não nos submetermos.

Temos que trabalhar e lutar para nos libertarmos.

Temos que projetar e construir nosso Mestre-Deus interior aqui e agora. Desde já.

 

 

Rio de Janeiro, 21 de outubro de 2006.

 

 

 

 

 

 

 

 

_____

Notas:

1. Definições colhidas no Manual Rosacruz:

Iluminação: Especialmente no sentido Rosacruz e místico, refere-se à iluminação da mente. Esta iluminação, todavia, não é limitada ao intelecto. Significa, também, esperiências noéticas, isto é, uma espécie de conhecimento intuitivo transmitido diretamente ao indivíduo de fontes transcendentais, como o Cósmico. Eu tenho preferido aplicar o conceito de transracionalidade, pois nas experiências psíquicas e/ou místicas transracionais não há qualquer interferência do indivíduo no sentido de analisar, questionar ou alterar (segundo sua cultura) as impressões recebidas, ainda que tenha de decodificá-las no nível da razão noética ou dianóica. Se o indivíduo não decodificar as impressões recebidas a experiência é inútil no sentido de poder ser utilizada objetivamente e de forma criativa.

Illuminati: Para os estudantes de misticismo e de ocultismo, o termo geralmente significa Os Iluminados. Refere-se àqueles que receberam a Iluminação, ou Luz, no sentido de realização da Consciência Cósmica, da onisciência [qualidade do Saber universal, uno, transintuitivo, independente, infalível e efetivo]. O vocábulo tem sido, tradicional e historicamente, aplicado aos Rosacruzes e Martinistas. [Particularmente] os Rosacuzes eram freqüentemente conhecidos como Os Irmãos dos Illuminati e, na verdade, em diferentes períodos de sua história usaram exteriormente o nome Illuminati ou [do francês] Les Illuminés. Os Illuminati estiveram bem estabelecidos no sul da França, na região de Toulouse, e naturalmente eram os mesmos Rosacruzes.

2. Se o Universo é uma unidade, separar as faixas do teclado cósmico como se fossem coisas isoladas e como se tivessem existência independente e autônoma é um equívoco. Tudo está interligado; tudo está associado. Portanto, distinguir o plano objetivo ou físico como independente dos outros planos que lhe estão abaixo e acima corresponde tão-só a uma percepção objetiva limitada, não à atualidade cósmica que é una e indivisível. Logo, por exemplo, a Oitava Esfera também não pode estar ou existir separada ou isolada da Quarta!

3. a) CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

DECLARAÇÃO SOBRE A MAÇONARIA

Foi perguntado se mudou o parecer da Igreja a respeito da Maçonaria pelo fato de que no novo Código de Direito Canônico ela não vem expressamente mencionada como no Código anterior.

Esta Sagrada Congregação quer responder que tal circunstância é devida a um critério redaccional, seguido também quanto às outras associações igualmente não mencionadas, uma vez que estão compreendidas em categorias mais amplas.

Permanece portanto imutável o parecer negativo da Igreja a respeito das associações maçónicas, pois os seus princípios foram sempre considerados inconciliáveis com a doutrina da Igreja, e, por isso, permanece proibida a inscrição nelas. Os fiéis que pertencem às associações maçónicas estão em estado de pecado grave e não podem aproximar-se da Sagrada Comunhão.

Não compete às autoridades eclesiásticas locais se pronunciarem sobre a natureza das associações maçónicas com um juízo que implique derrogação de quanto foi acima estabelecido, e isto segundo a mente da Declaração desta Sagrada Congregação, de 17 de Fevereiro de 1981 (cf. AAS 73, 1981, p. 240-241).

O Sumo Pontífice João Paulo II, durante a Audiência concedida ao subscrito Cardeal Prefeito, aprovou a presente Declaração, decidida na reunião ordinária desta Sagrada Congregação, e ordenou a sua publicação.

Roma, da Sede da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, 26 de Novembro de 1983.

Joseph Card. RATZINGER
Prefeito

+ Fr. Jérôme Hamer, O.P.
Secretário

Fonte:

http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/
cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19831126_
declaration-masonic_po.html


b) Desde o Papa Clemente XII, com a Constituição Apostólica In eminenti, de 28 de abril de 1738 até nossos dias, a Igreja tem proibido aos fiéis a adesão à Maçonaria ou associações maçônicas. Após o Concílio Vaticano II, houve quem levantasse a possibilidade de o católico, conservando a sua identidade, ingressar na Maçonaria. Igualmente, se questionou a qual entidade se aplicava o interdito, pois há várias correntes: se à anglo-saxônica ou à franco-maçonaria, a atéia e a deísta, anti-clerical ou de tendência católica. Para superar essa interrogação, o Documento da Congregação para a Doutrina da Fé, com data de 26 de novembro de 1983, e que trata da atitude oficial da Igreja frente à Maçonaria, utiliza a expressão associações maçônicas, sem distinguir uma das outras. É vedado a todos nós, eclesiásticos ou leigos, ingressar nessa organização, e quem o fizer está em estado de pecado grave e não pode aproximar-se da Sagrada Comunhão. Entretanto, quem a elas se associar de boa-fé e ignorando penalidades, não pecou gravemente. Permanecer após tomar conhecimento da posição da Igreja, seria formalizar o ato de desobediência em matéria grave.

A Congregação, no mesmo Documento de 26 de novembro de 1983, declara que não compete às autoridades eclesiásticas locais (Conferência Episcopal, Bispos, párocos, sacerdotes, religiosos) pronunciarem-se sobre a natureza das associações maçônicas, com um juízo que implique derrogação do quanto acima estabelecido.

O novo Código de Direito Canônico assim se expressa: Quem se inscreve em alguma associação que conspira contra a Igreja, seja punido com justa pena; e quem promove ou dirige uma dessas associações, seja punido com interdito (cânon 1374). No dia seguinte à entrada em vigor do novo Código, isto é, 26 de novembro, é publicada a citada Declaração com a aprovação do Santo Padre.

Diz o Documento que a Maçonaria não vem expressamente citada por um critério redacional e acrescenta: Permanece, portanto, inalterado o parecer negativo da Igreja, a respeito das associações maçônicas, pois os seus princípios foram sempre considerados inconciliáveis com a Doutrina da Igreja e, por isso, permanece proibida a inscrição nelas.

O fato de existirem eclesiásticos na maçonaria prova que há falhas na disciplina.

(Cardeal D. Eugênio de Araújo Sales. Fonte: Voz do Pastor, 26/01/2001)

Fonte:

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=
outros&artigo=20040804185808&lang=bra

4. O primeiro registro histórico do conceito de Nova Ordem Mundial pode ser encontrado nas Epístolas de Baha'ul'lah, líder religioso, nascido na Pérsia, no Século XIX. Segundo ele, uma nova ordem de organização mundial estava a ponto de nascer, na qual e as barreiras entre as raças, religiões e nações seriam abolidas, e o mundo adotaria uma única moeda internacional, uma organização planetária e um idioma internacional auxiliar único. Hoje em dia, o termo nova ordem mundial é um conceito sócio-econômico-político que faz referência ao contexto histórico do mundo pós-Guerra Fria. A expressão foi usada pelo presidente norte-americano Ronald Reagan na década de 1980, referindo-se ao processo de queda da União Soviética e ao rearranjo geopolítico das potências mundiais. De forma mais abrangente, o conceito de Nova Ordem Mundial tem sido aplicado para representar uma ruptura com o sistema vigente e uma radical alteração para o surgimento de um novo equilíbrio nas relações de poder entre os Estados na cena internacional. Nesse contexto, vemos, muitas vezes, esta referência ser feita a respeito das novas formas de controle tecnológico das populações, num mundo progressivamente globalizado, descrevendo, assim, um cenário que aponta para uma evolução no sentido da perda das liberdades e um maior controle por entidades distantes, com o quebramento da autonomia de países e de grupos mais pequenos e também de indivíduos. Esta descrição ganha por vezes traços de natureza conspirativa, mas pode também, necessariamente, não ser esse o caso. Este conceito é muitas vezes usado em trabalhos acadêmicos, nomeadamente no domínio das Relações Internacionais, nos quais se procura traçar cenários realistas, com base em fatos, acerca do impacto de novos elementos da sociedade moderna e de como esta evolui.

Fonte:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nova_Ordem_Mundial

5. Rudolf Steiner nasceu em 27 de Fevereiro de 1861 em Kraljevec (Áustria). Tendo cumprido em Viena estudos superiores de ciências exatas, foi solicitado a se dedicar, a partir de 1883, à edição dos escritos científicos de Goethe na coleção Deutsche National-literatur (Literatura Nacional Alemã). Atendendo ao convite para trabalhar no Arquivo Goethe-Schiller em Weimar, transferiu-se para essa Cidade em 1890, onde residiu até 1897, desenvolvendo um grande interesse cognitivo e uma conseqüente atividade literário-filosófica. É dessa época sua obra básica – A Filosofia da Liberdade (1894). Depois de alguns anos em Berlim como redator literário, Steiner passou a dedicar-se a uma intensa atividade como conferencista e escritor, no intuito de expor e de divulgar os resultados de suas pesquisas científico-espirituais, de início no âmbito da Sociedade Teosófica e mais tarde na Sociedade Antroposófica, por ele fundada. Em Dornach (Suíça) ele construiu em madeira o Goethanum, sede da Sociedade (e mais tarde também da Escola Superior Livre de Ciência Espiritual), edifício destruído em 31 de Dezembro de 1922 por um incêndio e posteriormente substituído pelo atual modelo em concreto. Foi em Dornach que ele faleceu em 1925, após realizar extraordinárias contribuições nos campos das artes, da organização social, da Pedagogia, da Medicina, da Farmacologia, da Agricultura, no tratamento de crianças excepcionais etc., com princípios adotados por instituições em todo o mundo.

Bibliografia:

LEWIS, H. Spencer (supervisor). Manual Rosacruz. 6ª edição traduzida da 17ª edição norte-americana. Coordenação de Maria A. Moura. Biblioteca Rosacruz, AMORC. Rio de Janeiro: Editora Renes, s. d.

LEWIS, Ralph M. A verdade sobre os Illuminati. O Rosacruz, Curitiba, Paraná, AMORC, pp. 20-21, out. 1981.

MARRS, Texe. Secret Signs, Mysterious Symbols, and Hidden Codes of the Illuminati - Codex Magica. Arquivo .doc.

STEINER, Rudolf. A ciência oculta (esboço de uma cosmovisão supra-sensorial). 4ª edição. São Paulo: Antroposófica, 1988.

______. O movimento oculto no séc. XIX e sua relação com a cultura mundial. Tradução de Karin Glass. Oitava palestra, GA 254. Sem data.

______. A Oitava Esfera: os Elohim, Lúcifer, Arimã e o Princípio Cristico. Conferência. Holanda, 1921.